3.08.- COGUMELO ALUCINÓGENO

Artista Plástica

3.08.- COGUMELO ALUCINÓGENO

28 de dezembro de 2018 Acervo 2
Escultura 031 x 018 

Materiais
Um vaso “Murano”, que minha imaginação trouxe da Itália para Minas Gerais, acompanha Lucy na sua “viagem”. Completa o trabalho: tecidos arames e contas.

Novamente a contracultura dos anos 60/70; nas minhas leituras sobre expansão da consciência, minha vivência cultural me leva a F. Capra, a Carlos Castanheda e aos trabalhos do doutor Laing. Esta ambiência cultural, tive acesso através do meu, então namorado, Mario Carneiro, excelente fotógrafo de cinema; relação que me fez estabelecer rumos mais convergentes e já um comportamento que mais tarde avaliei como autodidata. Nesta época, participai do filme “Macunaíma” dirigido por Joaquim Pedro de Andrade. Por este papel como atriz coadjuvante ganhei o prêmio Govenador do Estado de São Paulo. Reconhecida pelo prêmio, pensei prosseguir neste caminho; mas minha carreira foi interrompida, como sempre, pelo chamado das Artes Plásticas.

2 comentários

  1. Edith disse:

    Acho esse trabalho encantador.

    • carolina disse:

      Bom dia, Edith! Realmente, é um trabalho encantador e com um caminho meio tortuoso: fui à Minas comprar vasos; eu adoro fazer flores.E as minhas exigem vasos. Pois bem, na loja, achei um vaso que me encantou: -Quero aquele ! – Mas minha senhora, aquele tem defeito; a boca está torta. Escolha outro! – Não, quero aquele! – Já falei que tem defeito e não devo vende-lo! – E assim ficamos algum tempo, até que ela se conformou e vendeu o vaso torto. De birra, nem queria fazer mais barato. Aí, o papel se inverteu; eu argumentava: -Faz mais barato, pois este vaso está com defeito! – Mas a senhora tanto queria… este vaso deve ser muito precioso! Chegamos a um consenso: meio a meio!

Deixe uma resposta